Saúde

Saiba como a deficiência de ferro no sangue afeta a saúde da mulher

Estima-se que entre 40% e 50% das brasileiras em idade reprodutiva sofrem com o problema; exame para avaliar deficiência de ferro não é rotineiro Dados americanos indicam que cerca de 35% das mulheres em idade reprodutiva (com menos de 50 anos) possuem déficit de ferro no organismo. No Brasil, a estimativa é ainda maior: calcula-se que entre 40% e 50% das mulheres jovens sofram com alguma deficiência de ferro, muitas vezes não identificada porque a dosagem desse nutriente não costuma fazer parte dos exames rotineiros. A deficiência de ferro é a principal causa de anemia, a deficiência nutricional mais prevalente no mundo, afetando 33% das mulheres não grávidas, 40% das mulheres grávidas e 42% das crianças em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O principal fator que leva à deficiência de ferro na mulher é o ciclo menstrual intenso, com muita perda de sangue – a eliminação de coágulos pode ser uma maneira de identificar a quantidade do fluxo. “Muitas vezes a mulher não consegue recuperar esse ferro perdido no intervalo de uma menstruação para outra. Além disso, há casos de deficiência de ferro causada por alimentação inadequada com dietas muito restritivas [pouca carne e pouco alimento rico em ferro], tanto por imposição da beleza quanto por situações em que as pessoas não têm acesso à comida mesmo”, ponderou Ana Paula Beck, ginecologista e obstetra do Departamento Materno Infantil do Hospital Israelita Albert Einstein. Outras situações também levam ao problema, como cirurgia bariátrica desabsortiva (que altera o trânsito intestinal e, consequentemente, reduz a absorção de vitaminas e nutrientes), alimentação inadequada e dietas restritivas. Inclusive, em um comunicado emitido em 2021, a OMS afirmou que reduzir a anemia era um dos componentes dos esforços para erradicar todas as formas de má nutrição. Em 2020, segundo a organização internacional de saúde, havia 614 milhões de mulheres e 280 milhões de crianças em todo o mundo que sofrem com anemia. O sexo masculino também pode sofrer com a deficiência de ferro. A principal causa da anemia neles é a perda de sangue no tubo digestivo, que precisa ser investigada. Outras causas são desabsorção intestinal ou doenças crônicas. No caso dos homens, no entanto, a anemia não é tão frequente, uma vez que não há perda mensal de ferro como ocorre com as mulheres devido à menstruação. Atualmente, os níveis considerados saudáveis de ferro e ferritina no sangue em mulheres são acima de 50 mcg/dl e 15 mcg/l, respectivamente. Existe uma discussão em torno do aumento desses níveis para o sexo feminino, visando reduzir o risco de anemia e melhorar as funções dessas substâncias no organismo, mas ainda não há um consenso definitivo. “É um tema absolutamente discutível, mas o ideal é manter pelos menos os níveis mínimos já determinados”, comentou o hematologista Nelson Hamerschlak, do Hospital Israelita Albert Einstein. Para que serve o ferro? O ferro é usado para fabricar hemoglobina, que é uma proteína dos glóbulos vermelhos que transporta oxigênio dos pulmões para o resto do corpo. Ele também é fundamental para outras funções, como a síntese de DNA e o metabolismo energético. “O ferro ainda ajuda na cadeia respiratória das células junto às chamadas mitocôndrias e na fixação do nitrogênio. Ele contribui diretamente na fabricação dos glóbulos vermelhos, da mioglobina dos músculos e de elementos do fígado”, explicou Hamerschlak. Quando não usado para a produção de hemoglobina, o ferro é armazenado nos tecidos de forma geral, principalmente na medula óssea e no fígado, onde é ligado a uma proteína chamada ferritina (um indicador das reservas de ferro). Quando as reservas de ferro diminuem, o que está disponível é redirecionado para a manutenção dos glóbulos vermelhos, em detrimento de suas outras funções. Se o corpo esgota suas reservas, a deficiência de ferro leva a uma redução da hemoglobina e do número de glóbulos vermelhos saudáveis – e é aí que surge a anemia ferropriva, a principal causa de anemia no Brasil e no mundo. “Existem outros tipos de anemia, entre elas a doença falciforme, a talassemia, deficiência de B12, ácido fólico, autoimune etc… mas a anemia por deficiência de ferro é de longe a mais comum”, ressaltou Hamerschlak. Sintomas e tratamento da deficiência de ferro Os sintomas da deficiência de ferro costumam ser bem inespecíficos e incluem desde falta de ar, cansaço, confusão mental, queda de cabelo, enfraquecimento das unhas, tontura, aumento da sensibilidade ao frio até palpitações cardíacas. O principal problema é a anemia, que se não for identificada e tratada, pode progredir para um quadro grave, podendo levar à insuficiência cardíaca e alterações no metabolismo celular e na produção de energia. Nas mulheres grávidas, a preocupação é ainda maior devido ao aumento da necessidade de sangue circulando para o feto e a placenta. Uma deficiência de ferro na gestação pode causar anemia, baixo peso do bebê ao nascer e parto prematuro. Além disso, tem sido associada a problemas de desenvolvimento neurológico, com efeitos significativos no desenvolvimento cerebral, levando a atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor e consequências negativas na aprendizagem e no desempenho escolar posteriormente na vida. A Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) emitiu recentemente uma recomendação para que todas as pacientes tenham os níveis de ferro medidos regularmente, independente se estão ou não grávidas. Aqui no Brasil, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) publicou uma recomendação parecida no ano passado, em que orienta investigar e tratar com reposição de ferro todas as mulheres com sangramento uterino anormal. Segundo a ginecologista do Einstein, ainda não existe nenhuma orientação ou diretriz no Brasil para o rastreio rotineiro de dosagem de ferro em todas as mulheres em idade reprodutiva, mas ressalta que existe um esforço principalmente no terceiro trimestre da gestação para que a mulher não vá para o parto com anemia ou deficiência de ferro. “O mundo ideal seria avaliar a anemia e o ferro de todas as nossas pacientes, mas nem sempre conseguimos fazer isso de forma generalizada. Mas temos aumentado muito os pedidos de exame de ferro e a procura pela anemia ferropriva que é, sem dúvida, a principal causa de anemia no Brasil”, disse Beck. A anemia ferropriva é um problema de saúde pública mundial. A partir do momento que ela foi diagnosticada e a causa foi identificada, o tratamento envolve a reposição de ferro com suplementação oral ou endovenosa, dependendo da gravidade do caso, além de manter uma dieta adequada principalmente baseada em carne, peixe e frango. Alguns vegetais também são ricos em ferro, mas para melhor absorção pelo organismo eles precisam de vitamina C. “O uso de panelas de ferro, por incrível que pareça, também pode ajudar”, completou Hamerschlak.

More Saúde

Os benefícios da acupuntura para a saúde feminina

O tratamento é bem-vindo no combate a problemas típicos do corpo da mulher em todas as fases da sua vida Equilibrar e liberar a energia vital de canais que passam por todo o corpo e estão relacionados aos órgãos. Esse é o objetivo da aplicação das agulhas na acupuntura. Com isso, o médico consegue fazer com que a paciente passe de uma maneira mais leve e agradável pelos vários momentos da sua existência. No que diz respeito à menstruação, por exemplo, há alívio das cólicas, equilíbrio nas alterações de humor ligadas à TPM, fluxo mais regular, melhora na constipação ou diarreia que afetam algumas mulheres durante o período menstrual, entre outros. Na gravidez acontece a redução das náuseas e enjoos, das dores lombares, dos inchaços e dos efeitos psicológicos, como ansiedade e medo. Já durante a menopausa, a acupuntura combate as ondas de calor, a transpiração excessiva, os problemas de pele e cabelo e os sintomas emocionais. O ginecologista Dr. Luciano Curuci, médico acupunturista e Presidente do Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo (CMAeSP) explica que a técnica também pode entrar em cena para ajudar no tratamento de alterações de saúde. “Nessa lista estão a endometriose, a síndrome dos ovários policísticos, a incontinência urinária e dores no corpo em geral, como as associadas à fibromialgia”, diz o acupunturista. Quem está enfrentando problemas com a infertilidade também pode se beneficiar muito com as sessões, inclusive as pessoas que estão passando por processos de fertilização in vitro. E, além de ajudar a combater o problema, a técnica proveniente da Medicina Tradicional Chinesa equilibra as questões emocionais, que têm muita influência em todos esses quadros, e diminui os efeitos colaterais provocados pelos remédios e tratamentos ocidentais. Mas, para que o quadro seja devidamente avaliado e o resultado seja de fato eficaz, é essencial que o procedimento seja feito por um médico com especialização em acupuntura.

Saúde Arquivos

Endometriose não é fim da linha para sonho da maternidade
Com tratamento adequado, pacientes que planejam engravidar podem ter uma gestação saudável Um dos aspectos mais desafiadores da endometriose — doença que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), atinge 10% ...
Buscas por mamografia crescem 30,5% na rede pública de saúde
Exame é fundamental para o diagnóstico precoce do câncer de mama. INCA prevê 704 mil novos casos de cânceres no Brasil para cada ano do triênio 2023-2025 Um levantamento realizado pela ...
Por que o seu filho precisa tomar vacina?
As taxas de vacinação em crianças têm caído nos últimos anos. Em 2021, o número de crianças vacinas contra a Hepatite B chegou somente aos 60% Apesar de o Brasil ter ...
‘Trombose’: entenda 4 fatores que podem causar a doença
Cirurgiã vascular aponta situações que aumentam o risco de desenvolver a condição A formação de coágulos que impedem o fluxo sanguíneo de nosso corpo fluir normalmente pelo sistema circulatório é uma ...
Entenda a importância do teste da orelhinha
O exame permite identificar problemas auditivos precocemente e encaminhar o bebê para um tratamento adequado. Saiba mais Após o nascimento é preciso fazer uma série de exames para garantir a saúde ...
Ginecologista lista cinco hábitos comuns que prejudicam a saúde da mulher
Desde o lubrificante que você usa durante o sexo até ficar adiando os exames ginecológicos, são vários os hábitos que você deve deixar de lado agora Cada vez mais parece que ...
6 fatos que você precisa saber sobre a saúde bucal do seu filho
Você sabia que as crianças precisam fazer uma consulta com o dentista assim que o primeiro dente de leite nasce? Veja mais detalhes sobre o tema É muito comum ter dúvidas ...
3 nutrientes que ajudam o desenvolvimento do cérebro do bebê durante a gestação
Incluir alguns alimentos durante a gestação pode melhorar o desenvolvimento de seu filho. Veja o que incluir na dieta A importância de manter uma alimentação saudável e equilibrada durante os meses ...

Próxima página »
Espaço Laser



Sem Parar
Sem Parar