Filed Under:  Tv & Novelas

“A viagem” e outras produções com histórias e estruturas diferentes

abril 27th 2017  ·   0 Comentários

“A Viagem” e “Vamp” são algumas das novelas com história inovadoras. Confira as novelas e minisséries que abusam da criatividade

Novelas, principalmente do horário nobre, normalmente são feitas para refletir a sociedade. Isso acaba engessando um pouco o modelo, e trazendo personagens parecidos de uma trama para outra: alguém do bem, ganancioso, apaixonado, etc. Outros horários, no entanto, conseguem ousar mais em sua história, e acabam tendo a oportunidade de criar mundos e enredos diferentes. É o caso de “Novo Mundo”, por exemplo, que mistura personagens históricos, como D. Pedro I, junto com figuras fictícias. Outros folhetins também investiram em tramas bem diferentes, como “A Viagem” e “Vamp”.

Relembramos as principais a seguir:

“A Viagem”

“A Viagem” mostrava o céu e o inferno, pela visão de um espírito

Foto: Divulgação/TV Globo

Baseado na filosofia espiritista de Allan Kardec, “A Viagem” tratou da vida após a morte, mostrando o céu e o inferno. A trama gira em torno do jovem Alexandre (Guilherme Fontes) que, depois de se matar, passa a infernizar a vida de quem ele culpa por seu trágico destino. Ele começa a se comunicar na terra com um médium que tenta o guiar para o bem. A história também mostra as dificuldades do casal Diná (Christiane Torloni) e Otávio (Antônio Fagundes) após a morte dele.

“Cordel Encantado”

“Cordel Encantado” foi original na fotografia e na maneira de contar a história

Foto: TV Globo

A produção encantadora da Rede Globo teve muito elementos inovadores, a começar pela fotografia. Baseada em literatura de cordel, a trama retrata o sertão com todas as suas cores e textura. O figurino e a trilha sonora também davam a novela características inovadoras. “Cordel Encantado” também utilizava figuras históricas como referência, a exemplo do cangaceiro Lampião, reimaginado como Coronel Herculano (Domingos Montagner).

“Meu Pedacinho de Chão”

'Meu Pedacinho de Chão' usou elementos lúdicos para contar sua história

‘Meu Pedacinho de Chão’ usou elementos lúdicos para contar sua história

Foto: Divulgação/Globo

A história de “Meu Pedacinho de Chão” poderia ser tradicional, a velha disputa entre adversário ideológicos, não fosse sua produção artística. Contada de maneira lúdica, a história traz figurinos e cenários divertidos e coloridos e alusões a fantasias como “O Sítio do Picapau Amarelo”. A protagonista Bruna Lizmayer tem o cabelo sor de rosa, enquanto Juliana Paes usava uma peruca no melhor estilo Maria Antonieta.

“Vamp”

Claudia Ohana interpretou a vampira Natasha em

Claudia Ohana interpretou a vampira Natasha em “Vamp”

Foto: Divulgação/TV Globo

“Vamp” misturava terror e comédia ao mostrar a vida do povo da cidade fictícia de Armação dos Anjos após a chegada de vampiros, como a cantora de rock Natasha (Claudia Ohana) e Vlad (Ney Latorraca). A divertida história contava ainda com Mrs. Penn Taylor, a caçadora de vampiros vivida por Vera Holtz.

Natasha vai a cidade a procura da Cruz de São Sebastião, única arma que pode derrotar Vlad. O herói da novela é o Capitão Jones, que em vidas passadas viveu um triângulo amoroso com a dupla de vampiros.

“Morde & Assopra”

“Morde & Assopra” misturou a modernidade dos robôs com os antigos dinossauros

Foto: TV Globo/Divulgação

“Morde & Assopra” mistura dois elementos adorados pela ficção científica, mas opostos: os jurássicos dinossauros, e os modernos robôs. A trama gira em torno de Júlia (Adriana Esteves), uma arqueóloga que viaja a pequena cidade de Preciosa atrás de ossos de dinossauros nunca antes encontrados. Ao mesmo tempo, o cientista Ícaro (Mateus Solano) tenta reconstruir sua falecida esposa Naomi (Flávia Alessandra) como robô.

“O Quinto dos Infernos”

Betty Lago interpretou a vilã histérica Carlota Joaquina em

Betty Lago interpretou a vilã histérica Carlota Joaquina em “O Quinto dos Infernos”

Foto: Divulgação/TV Globo

Assim como “Novo Mundo”, “Quinto dos Infernos” se baseia em fatos históricos, misturado com muita ficção. O tempo retratado também é o da família real portuguesa no Brasil. Carlota Joaquina (Betty Lago), inspirada em Maria Antonieta, é a grande vilã da história. Em meio a muita libertinagem e confusão, temos um retrato bem diferente dos livros de história.

A minissérie também trazia André Mattos como D. João VI e uma relação conturbada entre os irmãos Pedro (Marcos Pasquim) e Miguel (Caco Ciocler), já que o segundo é secretamente apaixonado pelo primeiro.

“Velho Chico”

Domingos Montagner e Camila Pitanga como os protagonistas de

Domingos Montagner e Camila Pitanga como os protagonistas de “Velho Chico”

Foto: Divulgação/TV Globo

A trama das 21h “Velho Chico” pode não ter agradado tanto o público, mas foi um sucesso de crítica. A novela, contada as margens do Rio São Francisco, tem nas águas um personagem, marcando o encontro e desencontro dos protagonistas. A fotografia de “Velho Chico”, assim como “Cordel Encantado”, destacava as belezas, e durezas do cenário.

“Liberdade, Liberdade”

Andréia Horta e Bruno Ferrari foram os protagonistas de

Andréia Horta e Bruno Ferrari foram os protagonistas de “Liberdade, Liberdade”

Foto: Globo/João Miguel Júnior

A novela das 23h “Liberdade, Liberdade” também contava com personagens históricos. A história gira em torno de Joaquina (Andreia Horta), filha de Tiradentes (Thiago Lacerda). Ela vive por ideias libertários parecidos aos do pai, em um período de ebulição nacional, que culmina na Independência do Brasil. Ela foi criada em Portugal, mas retorna ao país exatamente nesse período, e acaba se tornando um símbolo da luta contra a Coroa Portuguesa.

“Espelho Mágico”

“Espelho Mágico” retratou uma novela dentro de outra novela em 1977

Foto: Divulgação/TV Globo

A novela dentro da novela. Essa é a premissa de “Espelho Mágico”, que mistura ficção, com realidade, com ficção. A ideia é explorar os conflitos de atores, diretores, autores e jornalistas, onde muitas tramas podem refletir a realidade que os personagens estão passando. A novela traz o casal Tarcísio Meira e Glória Menezes, além, de Daniel Filho interpretando, veja, um diretor. “Espelho Mágico” mostra os bastidores das gravações de Coquetel de Amor, que acaba espelhando na TV os conflitos vividos por trás das câmeras.

“O Profeta”

Thiago Fragoso podia ver o futuro em

Thiago Fragoso podia ver o futuro em “O Profeta”

Foto: Divulgação/TV Globo

Outra produção voltada ao sobrenatural assim como “A Viagem”, “O Profeta” conta a história de Marcos (Thiago Fragoso), um jovem que consegue prever o futuro. A morte de um personagem, Camilo (Malvino Salvador) é o mistério principal, ao mesmo tempo que também retrata o sobrenatural, com Camilo tentando fazer a “passagem”.

Readers Comments (0)





Procurar